Notícias

Categoria: Economia

Queimados: Reciclaplast investirá R$3,5 milhões em sua fábrica instalada no Distrito Industrial

Fotos: Felipe Bragança

Felipe Carvalho - Rio. A Reciclaplast, também conhecida como JRM21, investirá R$ 3,5 milhões em sua unidade recicladora de plásticos no Distrito Industrial de Queimados. A empresa funcionará em parceria com a multinacional de origem francesa Pellenc Seletive Technologies, e será destinada à reciclagem de materiais plásticos de Polietileno de Alta Densidade (embalagens de iogurtes, domiciniantes, amaciantes, óleos lubrificantes entre outros) e Polipropileno (cadeiras e meses de piscina, potes de margarina, copos de mates, tapeuwwer, alguns tipos de para-choque de automóvel entre outros). Serão 1 mil toneladas de resíduos plásticos retirados por mês, que vão para a indústria de transformação de plásticos, onde o produto será transformado em pellets (grãos) de resina reciclada para abastecer principalmente a indústria automobilística.

Serão gerados 130 empregos diretos. A maioria das vagas, que serão preenchidas ao longo dos próximos meses, será para o setor de produção, para ambos os sexos e o salário médio gira em torno de R$ 1 mil reais. A Reciclaplast teve o benefício aprovado pela Comissão Permanente de Políticas para o Desenvolvimento do Estado do Rio de Janeiro (CPPDE) e receberá diferimento do ICMS na importação de máquinas e equipamentos, partes e peças de reposição para instalação da fábrica e redução da base de cálculo do ICMS na cadeia de produtos plásticos, de 19% para 12%.

Em 2009, o Distrito Industrial contava com apenas 7 indústrias. Hoje, 23 empresas operam no local e outras 17 estão em fase de implantação. De acordo com o Prefeito Max Lemos, a política de atração de empresas foi determinante para o crescimento econômico. “Só na arrecadação do ICMS já tivemos uma alta de 26,8 % em comparação a 2011, pulando de R$ 24,1 milhões para R$ 30,6 milhões. O recolhimento de ISS cresceu ainda mais: 41,5%, avançando de R$ 11,3 milhões para R$ 16 milhões. Isso mostra que Queimados continua crescendo e continua sendo o melhor lugar da Baixada Fluminense para se investir. Este é um investimento que além de gerar novos impostos e mais empregos, colabora e muito com o meio ambiente”, destacou Max.

Geração de empregos

Uma das marcas do Distrito Industrial de Queimados tem sido a geração de empregos, que já chegou a marca de 4.500 nos últimos 5 anos. Maria Clarisse, 31, que atua como ajudante de produção há dois anos e quatro meses na empresa Reciclapast destaca o benefício que é trabalhar próximo de casa. “Antes tinha que me locomover até a Barra da Tijuca para ganhar o mesmo salário que ganho aqui na minha cidade, sem contar os benefícios que são oferecidos como o vale transporte e refeição. Hoje, economizo quase quatro horas do meu dia e assim tenho mais disponibilidade de estar com minha família”, ressaltou Maria.

Renan Pinheiro, 29, que trabalha como operador de empilhadeira corroborou com o pensamento da colega de trabalho. “É mais qualidade de vida. Parabenizo a parceria do poder público com a iniciativa privada, pois esse crescimento econômico do município está possibilitando o surgimento de novos empregos para milhares de queimadenses. É uma satisfação muito grande trabalhar na minha cidade e numa empresa preocupada com a questão ambiental”, disse Renan.


“Nova Fronteira do Plástico”

O incentivo oferecido a empresa Reciclaplast é fruto do Programa Nova Fronteira do Plástico lançado no final de 2013 pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico. Além dos incentivos tributários, o Programa oferece às em presas interessadas incentivo financeiro, por meio da Agência Estadual de Fomento, a Age- Rio, que disponibiliza a linha “Pacote Plástico Produtivo”, com recursos próprios, com taxas a partir de 0,81% ao mês.

Entre os principais itens financiáveis estão máquinas e equipamentos, capital de giro, bens de capital, implantação, expansão e modernização da capa cidade produtiva. O estado tem uma indústria de transformação em expansão, com empresas do setor automotivo, alimentos, cosméticos e fármacos, responsáveis por 65% das vendas da indústria plástica no país.

Segunda-feira, 31 de Março de 2014